segunda-feira, agosto 15, 2022
segunda-feira, agosto 15, 2022

Fusões e aquisições movimentaram R$101 bilhões no primeiro semestre

O começo de 2022 foi marcado por mudanças no cenário econômico global, que, com a alta de juros e da inflação, passou a ser de menor liquidez. Os reajustes também impactaram as fusões e aquisições de empresas. Nos seis primeiros meses do ano, as transações de M&A no Brasil movimentaram R$ 101 bilhões, uma queda de 44% em comparação com o ano passado, quando foram movimentados R$ 180 bilhões. Os dados são do relatório M&A Brazil, produzido pela RGS Partners, que considerou todas as transações acima de R$ 50 milhões com valor publicado.

Ao todo, foram registradas 108 transações em 2022 – foram 116 no mesmo período de 2021, uma queda de 7%. Entre os setores, Tecnologia se destaca, sendo o maior em número de transações (26), seguido de Instituições Financeiras (14) e Serviços de Utilidade Pública (13). Já em volume transacionado, o setor de Utilities aparece em primeiro (R$ 30 bilhões), Instituições Financeiras aparecem novamente em segundo (R$ 24,3 bilhões), e Energia em terceiro (R$ 11,6 bilhões). No ano passado, Saúde liderava em volume investido.

Para o sócio da RGS Partners, Guilherme Stuart, as fusões e aquisições devem ser mais impactadas pela menor liquidez do mercado no segundo semestre, mas em proporções menores em relação a outros tipos de investimentos. “As estratégias que motivam um M&A não se alteram: as empresas seguem buscando formas de acelerar seu crescimento, expandir suas operações e acessar sinergias. Além disso, a correção de valuations, tanto de empresas listadas como privadas, se torna um atrativo para os compradores, que devem encontrar negócios mais vantajosos nesse cenário”, afirma. “Prova dessa tendência é que, enquanto o volume transacionado teve queda de 44%, o número de negócios caiu apenas 7%”.

Houve ainda um aumento na presença de compradores estrangeiros, de 37% no primeiro semestre de 2021 para 46% em 2022. Quando considerada a participação em termos de volume financeiro, os brasileiros são mais dominantes, e representam 75% do total. Entre as principais transações do semestre, estão a compra da SulAmérica Saúde pela Rede D’Or, por R$ 15,7 bilhões; da Albacora Leste pela PetroRio por R$ 11 bilhões; e da Celse pela Eneva, no valor de R$ 10,2 bilhões.

RGS Partners

É uma das mais conceituadas assessorias financeiras do Brasil, especializada em fusões e aquisições para o middle market. Fundada em 2013, é referenciada por bancos e escritórios de advocacia, e líder no ranking do Leaders League por três anos consecutivos. Nossa excelência é resultado de um time qualificado que combina rigor técnico, atendimento próximo e tato humano, oferecendo um portfólio de serviços que amplificam valor para clientes e mercado.

Leia mais:

Pague Menos conclui aquisição da Extrafarma e inicia novo ciclo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas