domingo, agosto 14, 2022
domingo, agosto 14, 2022

Sistema de automação e agendamento de carretas da Larco atrai outras empresas

No mundo dos negócios, os bons resultados sempre aparecem. Sejam evidenciados em produtos, serviços ou práticas empresariais: se tem alguém fazendo algo que se destaca e oferece resultados mais vantajosos, logo desperta interesse no mercado. E não foi diferente com a Larco, distribuidora de combustíveis que está entre as 10 maiores do país. Depois que implantou o novo sistema de automação e agendamento de carretas na base operacional de Candeias (Basecan), em 2021, a empresa viu sua eficiência alcançar índices muito maiores e agora é modelo de benchmarking, que nada mais é do que uma análise estratégica das melhores práticas usadas por empresas do mesmo setor ou de áreas correlatas.

Somente nos primeiros meses deste ano, três gigantes do mercado levaram equipes para conhecer as instalações e a operação da Larco em Candeias, município da Região Metropolitana de Salvador (RMS) que abriga a maior e mais importante base operacional da companhia. Nas visitas, representantes da Deten Química, da Refit e da Ultracargo se inteiraram dos processos que fizeram da Larco uma referência em automação e eficiência.

SEGURANÇA E CONFIABILIDADE NO CARREGAMENTO

A logística implantada pela Larco na Basecan permite carregar seis veículos por vez, distribuídos em 3 plataformas, cada uma com duas posições de abastecimento. Segundo Arthur Castilho, gerente de Operações da Basecan, o projeto oferece maior confiabilidade e eficiência operacional, além de proporcionar à Larco uma imagem positiva no mercado de combustíveis.

“Ao chegar à base, o motorista da carreta digita, em um terminal, os dados do veículo e a senha de acesso gerada no ato do agendamento, após a compra do produto. Em seguida, a carreta se posiciona na fila e, ao passar pela cancela, vai direto para a plataforma, cujo equipamento já está programado para carregar com o tipo de produto e a quantidade definidos pelo comprador”, explicou Castilho.

INDÚSTRIA PETROQUÍMICA

A primeira visita técnica de 2022, em fevereiro, foi da equipe de projetos da Deten Química, empresa de abrangência mundial instalada no Polo Industrial de Camaçari desde 1981. Entre outros compostos, fabrica e comercializa conservantes e as principais matérias-primas para a produção de detergentes biodegradáveis.

De acordo com o gerente-geral de Operações e Segurança, Saúde e Meio Ambiente (SSMA) da Larco, Antônio Hellidon, o sistema, além do alto grau de qualidade na mistura de produtos, inova por otimizar a gestão de filas dos veículos que aguardam para carregar e descarregar o combustível da Larco. “Ficamos muito felizes pelo interesse da Deten na dinâmica do nosso processo, pois trata-se de uma empresa muito conceituada no que se refere à segurança de processo, produtividade e responsabilidade socioambiental”, afirmou Hellidon.

Em seguida, um grupo da empresa Refit, antiga Refinaria de Manguinhos, do Rio de Janeiro – e única refinaria privada do país até a compra, no ano passado, da Refinaria Landulpho Alves (Rlam) pelo grupo Mubadala, de Abu Dhabi -, também esteve na base de Candeias. “Com características de negócio mais semelhantes às da Larco, a troca de informações foi ainda mais produtiva e reforçou ainda mais a nossa imagem. Esse grupo opera uma área com 50 tanques de armazenagem, em uma planta com automação parcial, e todos ficaram entusiasmados com a nossa estrutura, cuja operação é totalmente automatizada”, declarou Hellidon.

Durante a visita, o engenheiro da Refit, Fernando Matos, destacou a utilização do housekeeping (ferramenta de qualidade que integra o programa 5S e proporciona maior produtividade, incluindo eliminação dos desperdícios, limpeza e arrumação dos ambientes da organização) e o processo operacional adotado pela Larco na BaseCan. “Jamais imaginei que tantas dúvidas seriam esclarecidas nesse encontro. A confiabilidade e a visão de segurança empregadas aqui são dignas de elogios”, concluiu, parabenizando a Larco pelo projeto e instalações.

LOGÍSTICA

Em maio, foi a vez de um grupo da Ultracargo Aratu visitar a Basecan para conhecer a operação da Larco. A companhia é referência em logística portuária e seu terminal na Baía de Aratu situa-se no maior porto público da Bahia e com a maior movimentação de cargas, sendo um dos mais importantes escoadouros da produção química e petroquímica do país. Nos 94 tanques existentes na filial baiana, a empresa tem capacidade para armazenar cerca de 220 mil metros cúbicos (m³) de produtos químicos, petroquímicos, combustíveis, biocombustíveis e óleos vegetais.

Para o gerente de operações da Ultracargo, Saulo Mota Serbeto, foi uma excelente oportunidade para estreitar o vínculo com o cliente, mergulhar na sua jornada e entender a fundo seu processo para prover soluções eficazes para seu negócio. “Aproveitamos também para fazer um benchmarking no processo de operações de combustíveis, observando as melhores práticas aplicáveis ao nosso terminal”, declarou.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas