quarta-feira, dezembro 7, 2022
quarta-feira, dezembro 7, 2022

Setor de locação de veículos retoma dianteira e cresce 30% este ano, diz Abla

O setor de Locação de Veículos retoma a dianteira e deve subir 30% até o final deste ano. É o que prevê da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla) que, em coletiva realizada nesta terça-feira (22) mostrou o melhor crescimento de frotas durante este ano em todo o país.

As locadoras de carros, por exemplo, no quadrimestre (julho a outubro), compraram 233.540 veículos. No total, até o mês passado, a soma chega a 457.410 veículos. Em 10 meses, as locadoras já compraram 3,5% a mais do que 2021 inteiro. O levantamento foi feito a partir de dados do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Em relação à frota total do segmento, o crescimento neste ano atingiu, até outubro, 20,8% no comparativo com dezembro de 2021. Agora, são 1.373.407 automóveis e comerciais leves registrados em nome de locadoras, contra 1.136.517 unidades ao final do ano passado. A projeção de compras para os meses de novembro e dezembro é de 55 mil a 60 mil carros por mês. Assim, a estimativa é de terminar o ano com 575 mil veículos emplacados, crescimento de 30% sobre as aquisições feitas em 2021 (441 mil veículos).

De acordo com o presidente da Abla, Marco Aurélio Nazaré, em relação a 2021, o setor cresceu acima de dois dígitos nas compras. “Só em outubro já ultrapassamos todo o ano passado. Para ano que vem projetamos a frota acima dos 700 mil. Aprendemos muito com a pandemia, que fez crescer também os serviços de entrega”, disse Nazaré.

Produção nacional

As locadoras historicamente são responsáveis pela compra de 20%, em média, da produção nacional nos últimos anos, porém, em 2022, as estimativas estão em 35%. Conforme Nazaré, os resultados ratificam que o setor de aluguel de carros continua essencial para a retomada das vendas de veículos. “Esse crescimento e diversificação da frota das locadoras também vai ao encontro do desejo de atendimento cada vez mais personalizado por parte de empresas e de pessoas físicas”, afirma.

O que esperar do setor para 2023?

Os principais responsáveis por atender a demanda aquecida serão os nichos de terceirização de frotas, seguida pelo carro por assinatura, que, neste ano, já cresceu 16,4%. Segundo Marco Aurélio Nazaré, a tendência é de que a participação do carro por assinatura “venha até a dobrar no médio prazo, já que, apesar de ser uma modalidade recente, veio para ficar”.

Outra expectativa para 2023 é um grande potencial relacionado às vendas diretas. Já com relação ao turismo, os aumentos das passagens aéreas deverão seguir provocando estímulos às viagens rodoviárias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas