terça-feira, janeiro 31, 2023
terça-feira, janeiro 31, 2023

Grupo Fleury tem semestre de forte recuperação

Por Joana Lopo

O Grupo Fleury – uma das maiores e mais tradicionais empresas de medicina diagnóstica do Brasil – vive um novo ciclo de forte crescimento. Para se ter uma ideia, a companhia fechou o segundo trimestre deste ano com uma receita bruta da ordem de R$ 1,005 bilhão, mais que o dobro na comparação com igual período de 2020. Já o lucro líquido recorrente, nesta mesma base de comparação, somou R$ 65,5 milhões, numa alta de 218%. Outros destaques do trimestre encerrado em junho, foram a retomada dos exames de imagem, que registraram aumento de 179,5% em relação ao 2T20 e 9,7% em relação ao 1T21 e a consolidação das aquisições do Centro de Infusões Pacaembu e Clínica de Olhos Moacir Cunha, além do fechamento da operação de aquisição da Clínica Vita de Ortopedia.

A participação dos testes de Covid-19 no faturamento total da Fleury atingiu 8,3%, sendo o menor índice desde o ano passado. Ao mesmo tempo, a empresa continua seu processo de retomada no volume de exames de rotina, com aumento de receita proveniente do atendimento móvel chegando a 8,1% do faturamento total do grupo. Desde o início da pandemia foram realizadas quase 600 mil teleconsultas médicas, o que posiciona a healthtech Saúde iD como uma das líderes deste serviço no país.

Um dos maiores desafios da empresa é integrar as ações ambientais, sociais e de governança apostando nas métricas do ESG como estratégia de negócio. Em comunicado, o Grupo Fleury afirma que “essa é uma preocupação há pelo menos 20 anos e, embora ainda haja muito por fazer, acreditamos que o primeiro passo foi dado em julho último, quando concretizamos nossa primeira emissão de debêntures atrelada as metas ESG. Além de captar R$1 bilhão, volume que vai nos ajudar a impulsionar o crescimento, fomos pioneiros nesse tipo de emissão de dívida no setor de saúde – e a primeira Companhia no Brasil a estabelecer indicadores sociais entre os compromissos firmados numa emissão SLB (Sustainability Linked Bonds)”.

De acordo com a companhia, seu objetivo está relacionado à democratização da saúde, com a pretensão de impactar um milhão de clientes das classes C, D e E na plataforma Saúde iD até 2026. Outra meta da Fleury é no setor ambiental, já que pretendem reduzir em 14% a geração de resíduos biológicos até 2023, e em 20,5% até 2025 (na comparação com 2019).

Investimentos

No segundo trimestre, os investimentos da Fleury apresentaram aumento de 113,7% atingindo R$ 85,9 milhões. No primeiro semestre deste ano, os investimentos totalizaram R$ 137,2 milhões, com incremento de 69,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os investimentos na linha de Novas Unidades, Expansão de Oferta em Unidades Existentes e Áreas Técnicas apresentaram aumento de 102,8% refletindo os investimentos realizados em expansão de oferta nas unidades existentes, custos de integração das empresas adquiridas e também no Centro de Medicina Reprodutiva Fleury.

Em renovação de equipamentos diagnósticos e manutenção, o incremento de 120,6% frente ao mesmo trimestre do ano anterior é explicada pela retomada das manutenções e trocas de equipamentos realizadas ao longo do 2T21. Os investimentos em TI/Digital apresentaram crescimento de 114%, com destaque relevante para os investimentos focados na contínua expansão da plataforma de saúde e estratégia de digitalização da companhia.

Plano de expansão orgânico e aquisições

Em outubro de 2016, a companhia divulgou a abertura de 73 a 90 novas unidades de atendimento até 2021, que compõem o plano de expansão orgânico. Em março, foi inaugurada uma nova unidade da Marca Fleury, em São Paulo. Esta unidade também contempla o Centro de Medicina Reprodutiva da Marca Fleury. Até este trimestre foram inauguradas 55 unidades, correspondentes a 74% do ponto inferior da projeção.

Além dessas unidades inauguradas no plano de expansão orgânico, a empresa também realizou seis aquisições de marcas de medicina diagnóstica nos últimos anos, adicionando mais 72 novas unidades ao portfólio de marcas, sendo 36 unidades em regiões onde já possuía operação e 36 unidades em novas regiões. O crescimento do atendimento móvel também cresceu e, ao final do 2T21 representou 8,1% da receita bruta do grupo, o equivalente ao faturamento médio de 25 unidades de atendimento.

Fleury

O Grupo Fleury foi criado em 1926 e parte do crescimento da empresa foi por intermédio de aquisições de marcas do setor de medicina diagnóstica, como forma de complementar o mix de serviços e expandir a área de cobertura de atendimento. Em 2009, a companhia abriu seu capital na B3, no segmento do Novo Mercado. São aproximadamente 216 unidades de atendimento das marcas Fleury Medicina e Saúde, a+ Medicina Diagnóstica, Laboratório Weinmann, Labs a+, Clínica Felippe Mattoso, Diagnoson a+, Weinmann Serdil, Instituto de Radiologia, Campana, Cedire, Centro de Patologia Clínica, Diagmax, LAFE, Inlab, Papaiz e SantéCorp.

Por meio dessas marcas, está presente nos mercados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Distrito Federal e Maranhão. Até dezembro do ano passado, a marca havia emitido um total de 317.366.103 ações e contava com R$ 8,5 bilhões em valor de mercado.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas