quinta-feira, maio 23, 2024
quinta-feira, maio 23, 2024

Empresa baiana registra economia de 70% com reúso de água da chuva

Com temperaturas mais altas do que o normal, o verão de 2024 surpreendeu também pela grande quantidade de chuvas em Salvador e na Região Metropolitana. Apenas no mês de fevereiro, por exemplo, a capital baiana teve uma quantidade de precipitação de 332,5 mm, três vezes mais do que a média climatológica esperada, que era de 98,7 mm. Já em janeiro, foram registrados 149,9 mm, valor 95% acima da média histórica para o mês (76,9 mm). E para empresas que apostam em sustentabilidade, esse alto volume de chuvas pode representar uma grande economia e uma forma responsável e inteligente de cuidar dos recursos hídricos.

Na Bahia, a empresa Civil Pré-fabricados tem utilizado essa estratégia de reaproveitamento da água para gerar economia a partir de ações ecológicas. Gerente comercial da Fábrica de Leves da Civil Pré-fabricados, Claudio Moscoso explica que a adoção de uma estratégia inteligente permite otimizar o aproveitamento das águas da chuva durante o ano inteiro. “Utilizamos uma abordagem adaptável às variações sazonais na disponibilidade de água pluvial. Assim, no verão, quando há menos chuva, é possível maximizar o uso desse recurso, enquanto no inverno, quando a precipitação é mais abundante, é viável aumentar ainda mais a sua utilização”, revela.

E o aumento das chuvas nesse primeiro trimestre de 2024 representou um saldo positivo para a empresa. Durante os meses mais quentes, como o verão, o uso de água das chuvas nos processos fabris fica em torno de 50%. Entretanto, devido à grande quantidade de precipitação dos últimos meses, a empresa conseguiu ampliar esse percentual para 70%, resultando em uma economia na produção dos pré-fabricados, assim como em uma postura mais sustentável de seus processos. Já nos meses entre abril e junho, quando há um aumento natural no volume de chuvas, esse percentual pode chegar a até 80%.

Uma solução com muitas vantagens

Para as empresas que apostam na captação de água pluviais, uma das primeiras vantagens que se pensa é na economia financeira, devido a redução da dependência da água potável fornecida pela concessionária, principalmente para fábricas que necessitam de um grande volume hídrico. Mas as vantagens vão além do valor financeiro. Uma delas é a preservação do meio ambiente, a partir de uma redução da pressão sobre os sistemas de abastecimento de água.

Localizada no município de Simões Filhos, na Região Metropolitana de Salvador, a Fábrica de Leves da Civil Pré-fabricados utiliza a água das chuvas em seus processos desde 2011, sendo um recurso importante para a produção de blocos de concreto e pisos intertravados, por exemplo.

Esse processo é simples. A água é captada no telhado do galpão da fábrica, de onde é transportada e armazenada em até 5 tanques com capacidade total de 60.000 litros. “Nesses tanques, ela fica disponível para utilização na fábrica. Só usamos as outras fontes de água quando esses tanques estão com apenas 10% de sua capacidade”, explica Claudio Moscoso.

Além disso, a adoção de práticas sustentáveis, como essa, pode gerar benefícios fiscais, auxiliar na conquista de selos e certificações ambientais, destacando o compromisso da empresa com a preservação dos recursos naturais. Outra vantagem é a valorização da marca, ao demonstrar comprometimento com a sustentabilidade e com a responsabilidade ambiental.

“A utilização da água da chuva no processo produtivo é uma prática cada vez mais valorizada pelo Grupo Civil e suas empresas por ser uma prática ambientalmente responsável, que contribui para a conservação dos recursos hídricos, redução da poluição, mitigação de desastres naturais e economia de recursos financeiros. Isso reflete o nosso compromisso em buscar soluções sustentáveis para desafios ambientais enfrentados atualmente”, finaliza Moscoso.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas