quarta-feira, fevereiro 21, 2024
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Sufotur

Grupo SBF atinge receita bruta bilionária no 2T23 e aumenta margem consolidada

O Grupo SBF definiu para o ano de 2023 foco na rentabilidade e em iniciativas para melhoria de sua eficiência operacional. Ao seguir essa diretriz, os resultados alcançados neste trimestre, bem como ao longo do primeiro semestre do ano, trazem confiança de que a empresa está na direção correta para geração de resultados mais sustentáveis.

No segundo trimestre de 2023, a companhia alcançou uma receita bruta de R$ 1,93 bilhão, o que representa uma evolução de 5,3% em relação ao ano anterior e um avanço de 8,2% em relação ao primeiro trimestre. A empresa implementou uma estratégia de markdown para acelerar o giro de estoque e, mesmo com essa estratégia, a margem bruta ajustada cresceu 1,5 ponto percentual em comparação com o segundo trimestre de 2022, encerrando o trimestre em 47,3%.

O Grupo SBF também continuou atuando fortemente no controle das despesas, embora ainda não tenha completado a integralização dos ganhos dessa iniciativa nos resultados do trimestre. Dentro desse cenário, o Ebitda ex-IFRS ajustado da empresa foi de R$ 92,3 milhões no segundo trimestre de 2023, e nos primeiros seis meses do ano atingiram R$ 226 milhões de Ebitda ex-IFRS, uma alta de 7,1% na comparação anual.

Resultados Centauro

Na Centauro, a empresa continuou investindo na melhoria dos indicadores de negócio. Com maior racionalização de despesas e ajustes nas margens, houve maior eficiência na operação de lojas e aumento de rentabilidade do canal digital. Isso garantiu uma margem bruta de 51,2% no trimestre e uma expansão de 1,5 ponto percentual na margem de contribuição em comparação ao segundo trimestre de 2022. A empresa abriu duas novas lojas e reformou mais duas, além de continuar trabalhando para aprimorar o modelo de atendimento, com a meta de ampliar a rentabilidade dos pontos de venda sem comprometer a experiência de compra do cliente.

Uma das fortalezas de diferenciação da Centauro é a capacidade de desenvolvimento de coleções e produtos exclusivos. A venda de produtos de marca própria Oxer e licenciados de Asics teve um crescimento superior a 80% na comparação anual. A companhia acredita que a construção da preferência do consumidor passa por oferecer produtos conectados com sua necessidade e que valorizem histórias do esporte. Um exemplo disso é o lançamento, em julho, pré-Copa do Mundo de 2023, da coleção Go Equal. Junto com a jogadora Marta, a empresa transformou o movimento, iniciado em 2019, em uma marca e lançou uma coleção de peças exclusivas que fomenta a equidade de gênero e a liberdade para jogar, como forma de inspirar a prática esportiva feminina.

Resultados Fisia

Na Fisia, distribuidora oficial da Nike no Brasil, o crescimento total foi de 14,8%, impulsionado pelas vendas nos canais direct-to-consumer (DTC). No trimestre, a empresa abriu quatro novas lojas Nike (duas NVS e duas NDIS), totalizando 10 aberturas no primeiro semestre de 2023. A receita bruta do canal de lojas subiu 79,4% em comparação ao ano anterior, enquanto a do site da Nike teve alta de 35,5%, decorrente do crescimento orgânico do canal e da consolidação da estratégia de migração de clientes digitais do atacado para 3P. O crescimento das vendas DTC compensou a menor demanda dos clientes do atacado no período, o canal de menor margem da Fisia.

A migração para os canais DTC é vista como positiva para a rentabilidade da companhia, pois a margem bruta gerada a partir disso mais do que compensa o aumento de despesas desses canais. No entanto, neste trimestre, devido ao estoque ainda elevado na Fisia, a empresa realizou uma estratégia mais forte de markdowns. O ganho de margem bruta, normalmente observado pelo aumento de share de DTC, foi absorvido por esses descontos temporários. Por outro lado, o aumento no SG&A (Despesas Operacionais) decorrente dessa migração continuou sendo observado. Além disso, o estoque mais alto também gerou impactos negativos nas despesas com royalties, logística e em despesas financeiras.

Apesar desses impactos, quando excluídos os aumentos de despesas causados pela migração de canais na Fisia, aumento de estoque e aumento de royalties, as ações de controle de despesas trouxeram uma redução estimada de 3 pontos percentuais no SG&A do trimestre em comparação ao ano anterior. As iniciativas para geração de caixa também começam a dar resultado, com observação de uma geração positiva de caixa operacional no 2T23, ao contrário do mesmo período nos últimos anos, quando houve consumo de caixa. Com a melhora gradual da posição de estoque nos próximos trimestres, espera-se observar mais claramente os efeitos das ações que já estão em andamento.

O Grupo continua focado na entrega de resultados no curto prazo, mas também trabalha para capturar sinergias no longo prazo. No trimestre, houve avanço na internalização logística do canal digital da Fisia, iniciativa importante para continuar reduzindo o nível de despesas e ter um maior controle sobre o processo de entrega para os clientes.

“Vivemos um cenário desafiador e por isso continuamos com foco total no controle de despesas e na melhora de nossas margens para impulsionar nossos resultados. Além disso, o nosso plano para redução de estoque, ao longo dos próximos trimestres, será importante para a geração de caixa da companhia. Hoje e sempre acreditamos na potência do esporte como espinha dorsal do nosso crescimento, com mais pessoas envolvidas, mais marcas fortalecidas e mais venda de produtos e serviços”, afirma Pedro Zemel, CEO do Grupo SBF.

Grupo SBF

Com mais de 40 anos de mercado, o Grupo SBF é um ecossistema que acredita que o esporte transforma vidas. Por isso trabalha com a missão de impulsionar o esporte no Brasil, todos os dias. Até 2020, o grupo atuou no país com a Centauro, maior varejista de artigos esportivos da América Latina e primeira varejista omnichannel do Brasil, com 100% das operações de lojas físicas e plataforma digital integradas desde 2018. Em dezembro de 2020, a FISIA integrou o SBF como representante exclusiva da Nike no Brasil e, dessa forma, o grupo passou a contar com a maior marca esportiva do mundo.

Desde então, novas unidades de negócio foram estrategicamente incorporadas nesse ecossistema, como a NWB, maior plataforma de mídia digital esportiva do Brasil e dona dos canais digitais Desimpedidos, Acelerados e Falcão 12, entre outros; a OneFan, sportstech criada para potencializar a relação de torcedores e fãs com entidades esportivas, por meio de tecnologia e inteligência; a X3M, referência em live marketing esportivo no país, dona de eventos como XTERRA e UPHILL Marathon; e a FitDance, uma das maiores plataformas de dança do mundo, com mais de 10 bilhões de visualizações em seu canal digital oficial.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas