domingo, julho 21, 2024
domingo, julho 21, 2024

Brasol e Aegea inauguram duas usinas fotovoltaicas em Petrópolis

A Brasol, empresa com capital da Siemens e consolidada no mercado de transição energética com investimentos em projetos de geração de energia limpa, e a Aegea, líder no setor privado de saneamento básico, inauguram duas usinas fotovoltaicas, em Petrópolis, no Rio de Janeiro. O investimento vai atender o consumo energético de 27 unidades da Águas do Rio, concessionária que faz parte do Grupo Aegea, cuja estratégia é priorizar uma matriz elétrica renovável combinada com o aumento na eficiência energética e metas de redução de consumo de energia.

O empreendimento, constituído por 4.700 módulos e 8 inversores, ocupa uma área de 12.300 metros quadrados e possui geração estimada de 3,7 GWh por ano (que equivale a redução de 2,4 toneladas métricas de emissão de CO2 e ao plantio de aproximadamente 43 mil árvores).

Segundo o COO da Brasol, David Betancur, as usinas implementadas pela empresa para a Águas do Rio estão entre as cinco maiores do Rio de Janeiro e vão abastecer a região serrana do estado com um modelo de energia sustentável. “Com potência instalada de 1,3 MWp e 1,27 MWp, respectivamente, elas ocupam a terceira e quarta posição entre as maiores usinas fotovoltaicas de geração distribuída (GD) do estado, segundo a classificação da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica)”.

A parceria entre a Aegea e a Brasol vem se consolidando nos últimos anos. Em 2022 entraram em operação as 10 primeiras usinas nos estados de Mato Grosso e Amazonas, totalizando 5,2 MWp de potência instalada. Além do novo projeto para Águas do Rio, são previstas novas usinas nesse mesmo estado e expansões em Mato Grosso, consolidando a parceira nestas regiões.

A adoção de energia solar pela Aegea faz parte do compromisso da companhia em colocar a sustentabilidade e os pilares ESG no centro de todas as suas decisões. O grupo faz uso cada vez mais eficiente dos recursos naturais em suas concessões e tem avançado em sólidas parcerias com projetos de geração distribuída de energia em operação e implementação em 10 estados (incluindo o RJ).

Esta é uma tendência crescente entre empresas líderes que optam por fontes de energia renováveis como estratégia para atender às metas corporativas de sustentabilidade e contribuir para o equilíbrio do meio ambiente, além da redução do custo de energia.

“Na Aegea, a energia é o principal insumo utilizado nas operações. Por isso, a adoção de fontes limpas e que contribuem para a redução de emissões da atmosfera é uma prioridade para a companhia. E é por esta razão também que a parceria com a Brasol é tão importante para nós”, diz Emerson Rocha, gerente de Gestão de Energia e Eficiência Energética da Aegea. “Atualmente, 97% da energia consumida em nossas unidades é de fontes renováveis. Vale lembrar também que em 2022 assumimos como meta a redução de 15% do consumo específico de energia, medido em kWh/m³, até 2030, que está atrelada a uma emissão de um Sustainability-Linked Bonds (SLB), operação inédita para empresas de saneamento no Brasil. Essa iniciativa reforça o compromisso da companhia com a agenda ESG”, complementa.

Para o CEO e fundador da Brasol, Ty Eldridge, a parceria com a Aegea, a maior investidora em energia limpa no Norte do país, tem sido um exemplo e referência no segmento. “Estamos muito orgulhosos por estar ao lado da Aegea em mais essa implementação, por ampliar nossa atuação no país, agora presente no Rio de Janeiro, e por cumprir as práticas sustentáveis das operações de grandes empresas no Brasil e no mundo”, declara. “As usinas atenderão às necessidades de consumo de energia das unidades locais da Águas do Rio, e contribuirão com as metas de sustentabilidade da Aegea”, afirma.

O diretor-presidente da Águas do Rio, Alexandre Bianchini, reforça o compromisso da empresa em buscar opções sustentáveis para sua operação. “Águas do Rio nasce com o DNA da Aegea, da experiência de 12 anos transformando vidas. Toda a nossa atuação é embasada pelas melhores práticas ESG do mundo e isso inclui abastecer nossos sistemas com energia renovável. Não é por acaso que a Águas do Rio foi internacionalmente reconhecida por seu impacto positivo nas áreas social, ambiental e econômica, com a certificação Blue Dot Network, iniciativa coordenada pela OECD, composta pelos Estados Unidos, Japão, Austrália e Reino Unido. A busca por soluções sustentáveis é contínua sempre focada em deixar um legado para o estado do Rio de Janeiro”, ressalta.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas