quarta-feira, fevereiro 28, 2024
quarta-feira, fevereiro 28, 2024

Worktech Swile fará novos investimentos em tecnologia para sustentar estratégia de crescimento

Todo crescimento impõe novos desafios às empresas. Para uma companhia nova, com características disruptivas em um mercado tradicional, essas questões são ainda maiores. É o caso da Swile – startup francesa de benefícios flexíveis, que adquiriu o status de centauro (startups com mais de US$ 100 milhões em receitas anuais). No último ano, a empresa triplicou de tamanho, dobrou o número de funcionários e, agora, como meta para os próximos 12 meses, quer atingir a marca de um milhão de usuários no Brasil. Para sustentar esse crescimento previsto, a worktech fará novos investimentos em tecnologia e em customer care.

Essa meta representa um salto de 150% em comparação à base da companhia no início do ano, quando contava com 400 mil usuários no Brasil. Para suportar essas mais de 600 mil novas pessoas, a Swile planeja injetar no País cerca de R$ 500 milhões nos próximos três anos. Esse montante será aplicado em diversas áreas, incluindo a de tecnologia e atendimento ao usuário, para ofertar a experiência mais completa do mercado.

“Entendemos que, para oferecer um contato 360º aos nossos clientes, a tecnologia, aliada a um time de experiência do usuário preparado e focado, é fundamental”, explica Tiago Framesqui, diretor de Engenharia da Swile. Segundo o executivo, uma das medidas previstas que facilitarão essa comunicação é a automação da infraestrutura. “Com isso, poderemos aliviar nossa operação e ganhamos fôlego para focar no que realmente importa para os nossos usuários, garantindo mais performance e estabilidade nos produtos Swile”, afirma Framesqui.

Outra iniciativa no radar é proporcionar aos clientes a autonomia para resolver todas as demandas por conta própria dentro da plataforma proprietária. Por meio de um chatbot integrado com inteligência artificial, a empresa vai oferecer mais um canal de comunicação aos usuários para sanar suas dúvidas e resolver procedimentos simples. Além disso, a Swile também conta com o atendimento humano, para que seus clientes tenham à disposição diversos canais para resolverem suas solicitações.

Na prática, todas essas ações vão proporcionar mais liberdade para os usuários e trazer mais fôlego à operação para que consigam crescer sem abrir mão da qualidade, nem da segurança dos serviços e produtos. O executivo revela ainda que, até o fim deste ano, a equipe de tecnologia contará com um aumento de mais de 60% em seu quadro de profissionais.

Outro ponto fundamental nessa estratégia de crescimento sustentável é a conexão e sinergia entre as equipes de tecnologia e de experiência do usuário da companhia, algo que ocorre como uma troca entre as duas bases operacionais da worktech – Brasil e França. “Queremos que, mesmo com esse crescimento radical, ainda tenhamos o melhor produto e atendimento do mercado”, explica a head de Customer Care, Amanda Françozzo. Ela ressalta que o foco da empresa é na qualidade do serviço, atendimento e satisfação do cliente.

A empresa é a única das companhias digitais do segmento com indicações ao Prêmio Reclame Aqui, apresentando um NPS superior a 70 pontos, comparável com as instituições líderes em atendimento ao cliente, em todos os setores. O NPS médio do setor, do qual fazem parte bancos, fintechs e a própria Swile, é de 58. “Por isso, o foco para 2023 é fazer o básico muito bem feito e escalável”, conclui.

Swile

Swile é uma startup centauro francesa de benefícios flexíveis, criada em 2018. Colocando a tecnologia como motor do engajamento entre funcionários e empresas, ela desenvolveu o primeiro Super App pensado para a vida no trabalho, que inclui, entre outras soluções, o Swile Card – um smartcard que reúne todos os benefícios flexíveis em um único cartão, entregando uma experiência personalizada, unificada e moderna.

Em 2021, a Swile iniciou sua expansão global, começando pelo maior mercado de benefícios do mundo, o Brasil, por meio da aquisição da Vee Benefícios. A unicórnio global levantou o total de US$ 325 milhões, com parte do último aporte vindo do Softbank Latin America.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas