terça-feira, fevereiro 20, 2024
terça-feira, fevereiro 20, 2024

Sufotur

Aumento de 31% no EBITDA do 1T23 reflete a materialização da estratégia de crescimento AES Brasil

A AES Brasil (AESB3), empresa de geração de energia 100% renovável, apresentou fortes resultados no primeiro trimestre de 2023 (1T23). A Companhia registrou Receita Líquida de R$ 786 milhões, 16,2% acima do registro de 1T22 (R$ 677 milhões), e EBITDA ajustado de R$ 409 milhões, um aumento de 31% em relação ao mesmo período do ano anterior (R$ 313 milhões).

O primeiro trimestre de 2023 também foi marcado por uma grande parceria comercial. A AES Brasil anunciou também a assinatura de um novo PPA (contrato de compra e venda de energia) de longo prazo com a venda de 77 MW médios de energia, para uma das maiores empresas globais de tecnologia e de excelente perfil de crédito. O contrato tem prazo de 15 anos e início de suprimento de energia em julho de 2024. O projeto, que representa 154 MW de capacidade instalada, está em desenvolvimento no Complexo Eólico Cajuína, no Rio Grande do Norte, e possui investimento e financiamento totalmente contratados.

“A posição que a Companhia tem hoje, com quase 25 anos no mercado brasileiro, é um reflexo de uma estratégia de crescimento que segue de forma cada vez mais acelerada, baseada em diversificação e gestão de portfólio, e na capacidade de desenvolver soluções customizadas e oportunidades de negócio”, explica a CEO da AES Brasil, Clarissa Sadock. “Com solidez financeira e pautada por compromissos e metas ESG bem definidos, seguimos contribuindo para a ampliar a participação das energias renováveis nas matrizes brasileira e global, e apoiando os clientes no atingimento de suas metas de descarbonização”, completa.

Comercialização varejista

Na frente de comercialização varejista, a AES Brasil bate recorde de vendas e se mantém entre as três maiores do país. Até o final de abril, foram comercializados mais de 18 MW médios com 120 novos clientes. Com isso, a modalidade varejista da AES Brasil atinge um total de 207 clientes, que representam 571 unidades consumidoras e mais de 62 MWm de energia.

Dentre os contratos firmados no período, a AES Brasil e a Arcos Dorados – que representa as franquias do McDonald’s na América Latina e no Caribe – celebraram a ampliação do acordo referente ao fornecimento de energia certificada de fontes renováveis até o ano de 2027, na modalidade Varejista do mercado livre de energia. Além de gerar uma economia significativa, o acordo busca, ainda, apoiar a Arcos Dorados no atingimento de suas metas de descarbonização, o que inclui reduzir em 36% a emissão de gases do efeito estufa de restaurantes e escritórios até 2030.

Portfólio

Destaca-se, ainda, o nível de contratação do portfólio da AES Brasil, que atingiu 100% para 2023; com 96% previstos para 2024; 93% para 2025; 81% e 72% para 2026 e 2027, respectivamente.

Em relação às obras de seus empreendimentos eólicos, a Companhia está na fase final de construção de 322 MW de capacidade instalada no Complexo Eólico Tucano, na Bahia, que estará completamente operacional ainda em 2023; e de outros 684 MW de capacidade instalada no Complexo Cajuína, no Rio Grande do Norte, com início da entrada em operação comercial prevista para ocorrer ao longo de 2023 – com Cajuína 1 iniciando no primeiro semestre e Cajuína 2 no segundo.

Resultados financeiros

Além do EBITDA ajustado 1 de R$ 409 milhões, a AES Brasil encerrou o período com R$ 4,5 bilhões de caixa consolidado, reflexo, principalmente, da estratégia, que inclui a captação de recursos para fazer frente ao CAPEX de construção dos Complexos Eólicos Tucano e Cajuína. A Companhia não necessita de novas captações neste ano de 2023 para fazer frente aos seus compromissos.

A Companhia registrou, ainda, receita operacional líquida de R$ 786 milhões, trazendo um incremento de 16% na comparação com 1T22. A margem operacional líquida no 1T23 foi de R$ 560 milhões, configurando aumento de 30% na comparação com o mesmo período em 2022.

A AES Brasil também registrou R$ 342 milhões em geração de caixa operacional, reflexo da aquisição dos Complexos Eólicos Ventos do Araripe, Caetés e Cassino, além de fatores como o cenário hidrológico e a melhoria no desempenho operacional dos ativos da Companhia.

O Lucro Líquido ajustado do primeiro trimestre de 2023 foi de R$ 68 milhões, resultado, principalmente, de uma maior despesa financeira, fruto de captações realizadas para reforçar a estrutura de capital da Companhia e seguir com seu crescimento (construção de ativos) em um momento econômico desafiador.

AES Brasil

Acelerando o futuro da energia há quase 25 anos, a AES Brasil é uma empresa geradora a partir de fontes renováveis. A Companhia oferece soluções inovadoras e customizadas dentro das necessidades dos clientes, apoiando-os como um importante parceiro em sua busca pela transição energética.

Hoje, a AES Brasil conta com um portfólio de ativos 100% renováveis, com capacidade instalada contratada total de 5,2 GW*, sendo 2,7 GW hídrico, 2,2 GW eólico e 0,3 GW solar. Adicionalmente, a companhia possui em desenvolvimento parte de seu pipeline eólico e solar, ainda em negociação, que poderá adicionar até 1,7 GW** de capacidade instalada.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas