quarta-feira, fevereiro 21, 2024
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Sufotur

Restoque recebe aporte de capital e passa a se chamar “veste”

A Restoque, tradicional empresa de moda premium, inicia um novo ciclo. Sem deixar de lado a experiência e história que a tornaram protagonista no seu segmento, a companhia se moderniza e passa a se chamar VESTE S.A. ESTILO, além de receber aporte de capital de R$ 100 milhões para acelerar seu crescimento em 2023.

O novo nome empresarial da Restoque, VESTE, traz mais contemporaneidade e reflete a posição da empresa como especialista em seu segmento.

“A companhia tem uma história consagrada no mercado brasileiro e um portfólio de marcas desejadas pelos clientes. Em 2019, reorientamos nossa estratégia e elaboramos um planejamento assertivo para o novo momento do mercado de consumo. Os resultados dessas ações apareceram no ano passado e se fortaleceram neste ano”, afirma Marcelo Lima, presidente do Conselho de Administração.

Esses resultados motivaram o ingresso de novos acionistas na companhia, por meio de um aumento de capital de R$ 1,6 bilhão, concluído no último mês de outubro, o que reforçou significativamente a estrutura de capital da empresa. Fundos administrados pela WNT Gestora de Recursos, que tem como principal investidor o Banco Master, se tornaram acionistas relevantes da companhia.

O aumento de capital de R$ 100 milhões, aprovado pelo Conselho de Administração, com preço de emissão de R$ 1,70 por ação, está ancorado pela WNT. “As oportunidades de crescimento futuro, a capacidade de execução da atual equipe e os bons resultados operacionais da companhia nos deram confiança para liderar esse aporte de capital que permitirá à empresa antecipar seu novo ciclo de crescimento”, diz Valério Marega Júnior, sócio da WNT.

Os recursos serão aplicados, principalmente, na aceleração de dois pilares importantes desse novo ciclo de crescimento da empresa: reforma de lojas físicas e transformação digital.

Gestão renovada

A companhia também terá mudanças na administração. Livinston Bauermeister, após sete anos como CEO, irá para o Conselho de Administração. Alexandre Afrange assumirá a posição de CEO. Marcelo Lima, acionista de referência, continuará como presidente do Conselho, do qual também participa Luciana Cezar Coelho e no qual ingressam João De Biase, Paulo Figueiredo e Carolina Wosiack.

“Ao longo deste ano, venho trabalhando com o Marcelo, o Conselho e o Alexandre para lançar esse novo ciclo e garantir uma estratégia de sucessão sem rupturas, reforçando o engajamento e motivação do nosso time”, ressalta o atual CEO Livinston Bauermeister.

“Estamos olhando para o futuro respeitando a essência das nossas marcas”, afirma Alexandre Afrange, um dos fundadores da Le Lis, principal marca da empresa. O executivo foi CEO da companhia até 2014 e voltou em 2020 como head da marca Le Lis a convite de Marcelo e Livinston. A partir de Julho de 2021, assumiu como Diretor Geral de Operações e teve um papel fundamental na transformação da empresa.

“Tenho uma conexão muito forte com a companhia e os resultados que temos alcançado me motivam a continuar buscando o crescimento e o aprimoramento do negócio. Um dos nossos principais pilares será a continuidade da transformação digital, agregada à magia da relação interpessoal e ao contato físico com os produtos, que serão garantidos com a renovação das lojas”, conclui Afrange.

Construção do novo momento

Ao longo dos últimos anos, a companhia promoveu uma série de ações: consolidação das operações fabris e dos centros de distribuição, digitalização de vendas e processos, implementação da operação omnichannel, dentre outras.

Visando um caminho mais sustentável, desenvolveu e implementou o Programa +R, com as premissas de Reduzir, Respeitar e Realizar, em prol da sociedade e meio ambiente.

No início de 2022, se tornou a primeira empresa brasileira a ser admitida no The Fashion Pact, um acordo que visa limitar o impacto do setor de moda no clima, biodiversidade e oceanos. A companhia se juntou a grupos como Hermès e LVMH e se comprometeu, entre outros objetivos, a adotar medidas para atingir a redução de 50% nas emissões de gases de efeito estufa (GEE) até 2030 e zerar as emissões líquidas até 2050.

“A VESTE vem para celebrar as conquistas dos últimos anos e lançar a companhia em um novo ciclo de crescimento e rentabilidade, inspirado na motivação de seu time e no encantamento dos clientes de suas marcas”, afirma Livinston Bauermeister.

O ticker de negociação das ações de emissão da companhia na B3 passará a ser “VSTE3”, alinhado com o novo nome e o novo ciclo. Além disso, as ações de emissão da companhia serão grupadas na proporção de 8:1, adequando-se às melhores práticas recomendadas pela B3.

As mudanças acima serão submetidas à aprovação dos acionistas da companhia em Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada em 10 de janeiro de 2023, exceto o aumento de capital que já foi aprovado pelo Conselho de Administração, com preço de R$1,70 por ação (equivalente a R$ 13,60 pós grupamento), dentro de aumento de capital já autorizado pelos acionistas.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas