quinta-feira, maio 23, 2024
quinta-feira, maio 23, 2024

FS tem receita líquida de quase R$2 bi no primeiro trimestre do ano-safra 22/23

A FS, uma das maiores produtoras de etanol, nutrição animal e bioenergia do Brasil, divulga os resultados do primeiro trimestre do ano fiscal 2023, terminado em 30 de junho de 2022. Em receita líquida, a empresa alcançou R$1,9 bilhão, registrando um crescimento de 45,7% no comparativo com o mesmo período do ano anterior. Em EBITDA – lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização – o valor foi de R$ 676 milhões, um crescimento de 28,5%.

“Nosso crescimento em receita líquida e EBITDA é um reflexo das estratégias assertivas de negócios e melhora nos preços do etanol e dos produtos de nutrição animal, além do aumento das operações de comercialização de milho”, comenta o CEO da FS, Rafael Abud.

O Capex totalizou R$418,5 milhões, uma elevação de 457,8%. Esses números decorrem, principalmente, dos investimentos na construção da terceira planta da FS em Primavera do Leste (MT). A companhia espera investir cerca de R$2 bilhões em Capex nos próximos três trimestres.

FS 

Primeira indústria de etanol do Brasil que utiliza milho em 100% da produção. Hoje, com duas unidades, uma em Lucas do Rio Verde e outra em Sorriso, no Mato Grosso, a empresa tem capacidade para produzir cerca de 1,4 bilhão de litros de etanol por ano. Além disso, conta com tecnologia de ponta para a fabricação de produtos para nutrição animal, conhecidos pela sigla DDG (Dried Distillers Grains), óleo de milho e bioeletricidade. Recentemente, a companhia anunciou a construção de sua terceira unidade, localizada em Primavera do Leste (MT), com investimento previsto de R$2 bilhões e que elevará sua capacidade total para dois bilhões de litros de etanol/ano.

A FS prioriza a sustentabilidade e nela investe constantemente, com os objetivos de consolidar a agenda de desenvolvimento sustentável e fortalecer seus compromissos de longo prazo com a sociedade, passou a adotar um conjunto de ações que estabeleceu em seis compromissos de longo prazo (até 2030), criados em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e o Acordo de Paris. Uma dessas ações estuda a implementação do sistema BECCS – Bioenergy with carbono capture and storage (bioenergia com captura e estocagem de carbono), que pode torná-la uma das principais empresas do mundo e a primeira do RenovaBio a ter uma pegada negativa de carbono.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas