quarta-feira, fevereiro 1, 2023
quarta-feira, fevereiro 1, 2023

Caixa reporta resultado histórico e lucra R$10,8 bilhões no primeiro semestre

Por Joana Lopo

A Caixa Econômica Federal reportou, nesta quinta-feira (19), o resultado histórico do banco estatal, que atingiu lucro líquido de R$ 10,8 bilhões no primeiro semestre de 2021, sendo R$ 6,3 bilhões apenas no segundo trimestre, quando alcançou alta de 144,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Em relação ao 1T21, o crescimento foi de 36,6%, fechando o semestre em alta de 93,4% em relação ao mesmo período de 2020.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse durante coletiva realizada pelo canal oficial do banco, no YouTube, e acompanhada pela equipe do INEWSBR, que o resultado foi possível, especialmente no 2T21, devido ao crescimento da carteira de crédito (de mais de 13%) e pela melhora das margens financeiras, assim como pela redução nas despesas com reservas para cobrir eventuais calotes.

“Esse foi um trimestre extraordinário. Conseguimos dobrar alguns números. Só em crédito imobiliário crescemos em 35%, que é o coração da Caixa, mas em especial o recurso de poupança dobramos nesse período sensível da economia. E no agronegócio foi 80% de crescimento e atingimos mais de R$ 12 bilhões na carteira em seis meses”, disse Guimarães.

Em relação a taxa de administração houve redução de 1% para 0,47%, o que gerou um impacto de quase R$ 3 bilhões no lucro líquido do banco. Já a margem financeira alcançou R$ 11,1 bilhões (alta de 19,7%). Esse crescimento, segundo o presidente da Caixa, é decorrente do aumento de 8,2% nas receitas com operações de crédito e, especialmente, da redução de 10% nas despesas de recursos de clientes.

Na ocasião, Guimarães disse que vai “fechar” a subsidiária CaixaPar que, conforme ele, é uma “máquina de prejuízo” e que qualquer investimento de interesse do banco será feito pela própria instituição. A decisão faz parte da estratégia de desinvestimentos, que já vem ocorrendo nos últimos anos.

Casa própria

Líder na concessão de financiamento para casa própria, a instituição alcançou, no 2T21, o saldo de R$ 529,5 bilhões, totalizando 5,8 milhões de contratos. Somente no mês de junho, foram R$ 13,1 bilhões em contratação (considerando recursos SBPE e FGTS), consolidando-se como o mês com a maior contratação de crédito imobiliário da história da instituição, que tem 67,3% de participação no mercado.

No 2T21, cresceu 98,9% em contratação de crédito com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) em comparação ao 2T20, totalizando R$ 21,1 bilhões. No acumulado do 1S21, cresceu 101,3%, totalizando R$ 37,4 bilhões. Durante o segundo trimestre de 2021 realizou 24 milhões de simulações e 874,6 mil avaliações de crédito imobiliário, e celebrou 161,7 mil novos contratos, atingindo cerca de 646 mil brasileiros.

Gestora de fundos

Como administradora e gestora de fundos, responsável pela administração de R$ 693,9 bilhões em fundos de investimento e carteiras administradas, apresentando um crescimento de 2,3% no trimestre e 16,3% em 12 meses, a instituição somou em fundos de rede e de não rede o total de R$ 558 bilhões, ante R$ 538,8 bilhões verificados em março de 2021, representando um crescimento de 3,6% no trimestre e alta de 18,4% em 12 meses.

Ao final de junho de 2021, a Caixa administrava 7,7% do patrimônio líquido total dos fundos do mercado, segundo critérios da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), ocupando a 4ª posição do ranking de administradores de recursos, com um saldo de R$ 508,3 bilhões.

Loterias

No 2T21, as loterias da Caixa arrecadaram R$ 3,8 bilhões, 33,9% maior que o apurado no 2T20. Desse valor, R$ 1,9 bilhão foi transferido aos programas sociais do Governo Federal nas áreas de seguridade social, esporte, cultura, segurança pública, educação e saúde, o que corresponde a um repasse de 50,5% do valor arrecadado.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas