segunda-feira, janeiro 30, 2023
segunda-feira, janeiro 30, 2023

AES e BRF formam joint venture para construção de complexo eólico no RN

Por Joana Lopo

A AES Brasil e a BRF formaram uma joint venture para  a construção do Complexo Eólico Cajuína, no Rio Grande do Norte, com Capex (investimento) estimado de aproximadamente R$ 5,2 milhões/MW instalado. A BRF investirá diretamente o valor aproximado de R$ 80 milhões, a ser desembolsado durante o desenvolvimento do projeto, que tem operação (e início de vigência do contrato) prevista para ser iniciada em 2024.

Com validade de 15 anos, o projeto envolve investimentos em um parque de 160 MW de capacidade, o equivalente a 92 MW médios de energia assegurada. A parceria ainda precisa passar pela aprovação de autoridades competentes, por isso, o fechamento do negócio e início da construção estão previstos apenas para o quarto trimestre deste ano. Para a AES Brasil, o JV reforça sua estratégia de crescimento e diversificação de portfólio por meio do desenvolvimento de projetos de fontes complementares à hídrica, com contratos de longo prazo, e com retornos consistentes.

Já para a BRF, a parceria está em consonância com a Visão 2030, que é a política de sustentabilidade da companhia, que tem o compromisso de se tornar Net Zero em emissões de gases de efeito estufa (GEE) até 2040, tanto em suas operações como em sua cadeia produtiva. Para a companhia, conforme divulgou em comunicado ao mercado, o projeto atenderá cerca de um terço de suas necessidades energéticas no Brasil, e evolui com sua meta de chegar a 2030 com mais de 50% da matriz energética proveniente de fontes renováveis e limpas, além de mitigar riscos de escassez de abastecimento e operar com custos mais competitivos.

“A companhia continuará a prospectar oportunidades para investir em fontes alternativas de autoprodução de energia limpa, em conexão com suas metas de longo prazo em sustentabilidade, diz o comunicado da BRF.

AES Brasil

AES Brasil é uma subsidiária da AES Corporation, uma das maiores empresas de energia dos Estados Unidos. Atua nos setores de serviços, geração, armazenamento de energia elétrica e está presente no país desde 1997. Todas as empresas do Grupo AES Brasil integram a holding Companhia Brasiliana de Energia, formada pela AES Corp., que detém 50,01% do capital votante, e pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), com 49,99% do capital votante.

Tem mais de 21 mil colaboradores espalhados pelo mundo e está presente em 17 países. Operam diversas empresas de distribuição e geração de energia elétrica, usando diferentes fontes – como eólicas, solares, hidráulicas, biomassa e térmicas – e investem também em sistemas de armazenamento de energia em larga escala. Seu processo de expansão começou em 1985, quando construíram a primeira usina no Texas. Em seguida, já contavam com três usinas em estados norte-americanos e começaram a ampliar a operação no Reino Unido, Argentina, Paquistão, China, Hungria e no Brasil (desde 1997).

Em 1998, conquistaram uma pequena participação na única privatização de energia da Índia e levou eletricidade a locais na África Ocidental e América Central. Também alcançou mercados mais prósperos, como Qatar, Omã, Sri Lanka, Camarões e Bulgária.

BRF

Com mais de 85 anos de história e uma equipe de mais de 100 mil colaboradores, espalhados por mais de 130 países, a BRF é uma das maiores companhias de alimentos do mundo. Foi na década de 1930, no interior de Santa Catarina, que a Perdigão surgiu como um pequeno negócio de duas famílias de imigrantes italianos. Na década seguinte, foi a vez de Concórdia, também em Santa Catarina, receber a Sadia. De lá para cá, a fusão desses dois negócios, em 2009, deu origem a um dos maiores complexos agroindustriais do mundo, que é a BRF.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas