sexta-feira, fevereiro 3, 2023
sexta-feira, fevereiro 3, 2023

Consórcio Via Brasil vence leilão da rodovia mais importante para o agronegócio do pais

Atualmente a rodovia mais importante para o agronegócio brasileiro, a BR-163/230/MT/PA será administrada pelos próximos 10 anos pelo consórcio Via Brasil BR-163, formado pelas empresas Conasa infraestrutura SA, Zeta Infraestrutura SA, Construtora Rocha Cavalcante LTDA, Engenharia de Materiais LTDA e M4 Investimentos e Participações LTDA. Único concorrente do pregão, o consórcio apresentou oferta de R$ 7,86 de pedágio por 100 quilômetros, valor 8,09% inferior ao preço máximo aceito, de R$ 8,56 por 100 quilômetros.

O Via Brasil deverá fazer investimentos de R$ 1,8 bilhão em segurança viária e manutenção e mais R$ 1,05 bilhão em serviços ao usuário. O sistema rodoviário tem 1.009,52 quilômetros de extensão entre Sinop (MT) e Miritituba (PA), e é um dos principais corredores para escoamento da safra de grãos da região, principalmente soja e milho.

“Estamos transformando a logística do Brasil, estamos interiorizando a logística do Brasil, tornando nosso produtor mais competitivo. E esse é um movimento que não vai parar”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, logo após o anúncio do vencedor do leilão na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo, nesta quinta-feira (8).

Com mais esta concessão, o MInfra soma 71 empreendimentos repassados à iniciativa privada, desde 2019, com R$ 64 bilhões de investimentos contratados. Em 2021, já são 30 leilões, com mais R$ 20 bilhões. O objetivo é alcançar os R$ 100 bilhões até o fim deste ano – e fechar 2022 com pelo menos R$ 250 bilhões.

A concessão da BR-163, entre Sinop (MT) e Miritituba (PA), é o ponto alto para uma rodovia que, há menos de dois anos, era intrafegável e onde caminhoneiros perdiam cerca de 10 dias para escoar os grãos pelos portos da região Norte. Agora, com a concessão, as principais melhorias deverão ocorrer até o 5º ano de contrato, com a implantação de faixas adicionais, vias marginais e acostamentos, e, principalmente, acessos definitivos aos terminais portuários de Miritituba, Santarenzinho e Itapacurá, agilizando o transbordo da carga na Hidrovia do Tapajós.

Soma-se ainda a construção de dois novos pontos de parada e descanso, destinado aos profissionais do transporte rodoviário, desconto de 5% no pedágio para usuários de dispositivos de pagamento eletrônico (tag) e pagamento de tarifa na praça no município de Trairão (PR) somente para veículos comerciais acima de quatro eixos.

“Cuidem dessa rodovia. Essa é a menina dos olhos. De todos os leilões que já realizamos, esse é o que tem a maior carga emocional. Eu gosto dessa rodovia”, afirmou o ministro da Infraestrutura.

CORREDOR LOGÍSTICO

A BR-163 é, atualmente, o principal corredor logístico para o escoamento de grãos produzidos no Mato Grosso. E a pavimentação completa concluída pelo Governo Federal, no início de 2020, foi suficiente para facilitar a vida do caminhoneiro, reduzir o custo do frete e tornar as commodities produzidas no Brasil mais atraentes no mercado exterior.

No ano passado, os portos do Arco Norte tiveram um crescimento de cerca de 20% na exportação de grãos, igualando o porto de Santos. A diferença: o custo para o produtor. O escoamento, via Arco Norte, apresentou uma economia de quase US$ 20 por tonelada transportada – valor que pode ser ainda menor com a Ferrogrão.

O QUE VEM POR AÍ

O Programa de Concessão do MInfra prevê pelo menos mais duas concessões rodoviárias até o final de 2021: o da Via Dutra, em um projeto que abrange ainda a Rio-Santos (BR-116/101/SP/RJ), e o da BR-381/262/MG/ES, ligando Belo Horizonte (MG) a Governador Valadares (MG) e a Viana (ES). Dois leilões que, juntos, vão garantir mais de R$ 21 bilhões em investimentos para o setor rodoviário.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas