quarta-feira, fevereiro 8, 2023
quarta-feira, fevereiro 8, 2023

Com alta de 154,7%, lucro líquido da TIM salta para R$681 milhões no 2º semestre

Por Joana Lopo

A TIM Brasil alcançou lucro líquido de R$ 681 milhões no segundo trimestre deste ano. Isso representa um crescimento de 154,7% em relação ao mesmo período de 2020. De acordo com a companhia, que divulgou seu resultado na manhã desta terça-feira (27), o EBITDA (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização), também aumentou em 5,9% na comparação anual, sendo que são mais de 20 trimestres consecutivos de elevação nesse indicador.

No que se refere a receita de serviços, a empresa fechou em R$ 4,226 bilhões, o que indica evolução de 8,7%, impulsionada pelos resultados do fixo e móvel, com alta de 11,1% e 8,5% respectivamente. O CEO da TIM Brasil, Pietro Labriola,  durante apresentação dos resultados, que foi acompanhada pela equipe do INEWSBR, comemorou os números e prevê um ano de muitas conquistas para empresa.

“Estou muito feliz com os resultados até agora. Esses números comprovam nossa solidez operacional e financeira. Vamos encerrar um excelente ano, que considero como um marco fundamental na transformação da nossa TIM”, disse o executivo, que vê o investimento em tecnologia 5G e a aquisição da Oi como os grandes divisores de águas para a operadora.

Labriola: “Esses números comprovam nossa solidez operacional e financeira”

Confiante na sua robustez, a empresa realizou no país a maior emissão de debêntures vinculada aos compromissos ESG, no valor de R$ 1,6 bilhão, que serão destinados para investimentos em infraestrutura, em operação coordenada pelo Itaú BBA. Os títulos, do tipo SLB (Sustainable Linked Bond), são ancorados em duas metas, uma ambiental e outra social, visando o aumento de 80% na ecoeficiência no tráfego de dados até 2025 e à cobertura da rede 4G para todos os municípios brasileiros até 2023.

A operadora continua a expansão da cobertura 5G DSS, que é uma tecnologia que cria a capacidade de introduzir o 5G, ou seja, ainda não é o 5G de fato. Em junho último anunciou a ativação dessa funcionalidade em Recife, Fortaleza e Salvador. Até o momento, 19 localidades em 15 cidades contam com cobertura de rede 5G DSS. Mas a chegada definitiva do 5G no país está prevista para daqui a mais dois ou três meses, quando ocorrerá o leilão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Ampliação do 4G

Enquanto isso, a ampliação do 4G continua. Após Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com a Anatel há um ano, a TIM ultrapassou as metas de ampliação da cobertura e levou o sinal para os municípios que ainda não contavam com a tecnologia ou serviços de conectividade. De acordo com a empresa, isso beneficiou mais de 2,6 milhões de pessoas nas regiões Norte e Nordeste, e nos estados de Goiás e Minas Gerais, sendo o Nordeste com a maior cobertura, já que 62% das localidades passaram a receber o sinal. Até dezembro, a TIM promete atender mais 140 municípios.

“O Brasil tem exigência de aumento de dados. Fomos os primeiros a criar a migração do plano controle para o pós-pago, entre outras conquistas. Mas não queremos crescer a qualquer custo, vamos investir em tecnologia, em sustentabilidade e expansão. A TIM está pronta para assumir seu protagonismo no mercado”, afirma Labriola.

Quanto a expectativa de compra da Oi, o CEO disse que até o final deste ano a transação será concluída e, com isso a TIM dará mais um salto. A aquisição será feita de forma conjunta entre a TIM, Vivo e Claro, no valor total de R$ 16,5 bilhões. “Estamos muito confiantes que faremos essa compra sem nenhum remédio/condicionante. Esse é o melhor momento para fazermos essa aquisição”.

Segundo o VP da TIM Brasil, Mario Girasole, a distribuição dos clientes será feita por meio da base de clientes da Oi nas diferentes localidades do país. “Quem for o menor player em uma determinada localidade ficará com a maior distribuição, para poder equilibrar”, explica. Com a aquisição, a participação da TIM no setor de telefonia móvel no Brasil sai dos atuais 21% para 30% do mercado.

Foco na educação

Paralelo às duas grandes apostas, a TIM anunciou também a entrada no segmento de educação. Aliou-se à Kroton, vertical B2C de ensino superior da Cogna. Com isso, vai oferecer novos serviços para seus clientes e continua gerando novas receitas. Serão mais de 250 cursos de graduação e pós-graduação e mais de 400 cursos livres, flexíveis e com custo acessível, segundo a empresa.

Com o acordo, a TIM poderá se tornar acionista minoritária com até 30% da nova empresa. Conforme o CEO, a expectativa da parceira é de que a nova empresa atinja condições para buscar, no futuro, o seu IPO (Initial Public Offering).

“As parcerias são sempre muito importantes. Nosso projeto de crescimento é constante e desde o ano passado apostamos na plataforma TIM Ads. Neste trimestre, foram lançados dois novos serviços, o TIM Fun e TIM News, em parceria com a Play2Pay™ e com a Icaro™, respectivamente. Essas novidades e outras ações existentes, como o Informa TIM, geraram uma audiência de 19 milhões de usuários, que assistiram a conteúdos e anúncios de parceiros no TIM Ads. Isso impulsionou a receita em 44% na comparação com o primeiro trimestre deste ano, chegando a R$ 9 milhões”.

TIM

A TIM Brasil é uma empresa de telefonia brasileira subsidiária da Telecom Itália e opera nas redes GSM, EDGE, WCDMA, HSDPA, 3G e 4G. No país, foi fundada em 1995, começando suas operações em 1998, com sede no Rio de Janeiro. Foi a primeira operadora a ter presença nacional. Em seu portfólio tem a telefonia móvel, fixa e internet para clientes individuais e corporativos. A empresa modernizou seus equipamentos e realizou aquisições, como a Intelig, em 2009 e a AES Atimus, em 2011.Desde 2015 é líder em cobertura 4G no Brasil e é pioneira na ativação de redes 5G, com a criação dos Living Labs, em 2019.

Devido às práticas ambientais, sociais e de governança passou a integrar carteiras da bolsa brasileira, como a S&P/B3 Brasil ESG, do Índice de Carbono Eficiente (ICO2) e do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), sendo operadora por mais períodos consecutivos – 13 anos – nesta lista.

Faz parte ainda do Novo Mercado da B3, reconhecido como nível máximo de governança corporativa, e foi a primeira empresa de telefonia reconhecida pela Controladoria-Geral da União (CGU) com o selo “Pró-ética” e a obter a certificação ISO 37.001. Por meio do Instituto TIM, já beneficiou mais de 700 mil pessoas desde 2013, em 500 municípios do país. Seu valor de mercado é estimado em US$ 25 bilhões e o papel custa R$ 11,57.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas