sexta-feira, fevereiro 3, 2023
sexta-feira, fevereiro 3, 2023

Neoenergia tem alta de 1.920% no lucro em energia renováveis

A geração de energia limpa é a grande aposta para um futuro mais sustentável e consciente em todo o mundo. A Neoenergia, que tem como um de seus pilares a expansão e investimento robusto nesses recursos naturais e inesgotáveis, alcançou lucro líquido de R$ 101 milhões no primeiro trimestre de 2021 em renováveis – área da companhia que engloba os investimentos em projetos de geração eólica, hidráulica e solar, registrando aumento de 1.920% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Para reforçar esse posicionamento e impulsionar ainda mais o uso de fontes limpas, ou seja, com baixo impacto no meio ambiente, a companhia investiu um total de R$ 461 milhões em energia renovável. As hidrelétricas do grupo contabilizaram investimento de R$ 45 milhões, considerando R$ 35 milhões do reconhecimento no ativo intangível relativo ao acordo do GSF (Generation Scaling Factor) de Itapebi, e, em eólicas, o total foi de R$ 416 milhões, em especial nos projetos em implantação. O montante representa cerca de 25% do total investido na companhia durante o período.

“Os resultados alcançados refletem nosso intenso trabalho para estimular o crescimento do uso de energias renováveis no País. Acreditamos que temos um papel fundamental na transição energética brasileira, que vai pautar nossa sociedade do futuro. Somos pioneiros em iniciativas sustentáveis e sabemos que é um caminho sem volta para o qual temos muito orgulho de sermos um dos protagonistas”, ressalta Laura Porto, diretora de Renováveis da Neoenergia.

Ano desafiador

Mesmo diante de um ano desafiador, a empresa mantém o cronograma de obras previstos para grandes projetos em andamento. Entre os empreendimentos em implantação, o Complexo Eólico Chafariz faz parte da estratégia de expansão de geração eólica da companhia no Brasil e promete a geração de seu primeiro MWh ainda em 2021 – quando os seus 15 novos parques entrarão em operação.

O complexo terá ainda sinergia operacional com outros ativos da Neoenergia, como o complexo solar Luzia, os dois primeiros parques de geração fotovoltaica da companhia e está em fase de licenciamento, com previsão de entrada em funcionamento no segundo semestre de 2022.

Também em construção, o Complexo Eólico Oitis contabiliza 12 parques entre o Piauí e a Bahia, com 566,5 MW de potência, que será o maior da Iberdrola na América Latina. Juntas, as obras devem superar mais de 3 mil postos de trabalho no Nordeste brasileiro com a sua conclusão.

Até 2022, a companhia, com o início da operação do Complexo Chafariz, Oitis e Luzia, vai triplicar a sua capacidade instalada em eólica e fotovoltaica, atingindo 1,6 GW.​

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas