quarta-feira, julho 24, 2024
quarta-feira, julho 24, 2024

Delta Energia investe em fazendas solares

O Grupo Delta Energia, um dos líderes do setor de energia no Brasil, vai ampliar sua atuação em energia solar no País. O plano de investimentos prevê a construção de fazendas solares com 110 megawatts-pico (MWp) de potência instalada, que devem entrar em operação até junho de 2024. As usinas fotovoltaicas atuarão em 9 estados do Sudeste, Sul, Nordeste, Centro-oeste, além do Distrito Federal. A previsão da companhia é atender cerca de 60 mil unidades consumidoras no País.

O fornecimento da energia será feito pela LUZ, empresa que pertence ao Grupo, para atender consumidores de baixa tensão, como residenciais e comerciais. A energia elétrica chegará por meio de geração distribuída (GD) compartilhada de distribuidoras que atuam nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro (Sudeste) Paraná, Rio Grande do Sul (Sul); Pernambuco, Bahia, Ceará (Nordeste); Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal (Centro-Oeste).

Geraldo Mota, diretor da Delta Solar, informa que há obras bem adiantadas no Mato Grosso do Sul e interior de São Paulo. “Temos uma usina pronta em Três Lagoas, que acaba de receber liberação da distribuidora para começarmos o fornecimento de energia na região. Estamos com as construções aceleradas de mais uma planta no Mato Grosso do Sul e outras cinco em cidades paulistas”, diz. As demais seis unidades, que estão em construção, têm potencial para alcançar até 30 MWp e atender cerca de 16.500 consumidores até fevereiro do ano que vem.

Segundo o executivo, o objetivo é aumentar ainda mais a capilaridade da Delta Energia no setor elétrico. A empresa, pioneira na comercialização no mercado livre de energia, tem consolidada suas atividades no segmento junto a consumidores livres e grandes geradores. Hoje, o Grupo é responsável por transacionar cerca de 5 mil MW médios por mês nesta modalidade, o que corresponde a 8% do consumo de energia brasileiro. “Nossa entrada no mercado de geração de energia solar está em sintonia com a expansão do setor. Esse movimento agrega valor ao portfólio da Delta”, afirma Mota.

Espera-se que haja uma migração significativa dos 90 milhões de consumidores do País para o mercado livre de energia a partir da liberação desta modalidade para todos os públicos. Com base neste cenário, a Delta Energia tem investido em diversas áreas de negócios. Os preparativos contemplam iniciativas em tecnologia, recursos humanos e marketing, além de ampliação de portfólio, com foco no varejo. “A estratégia de crescimento no varejo prevê que o processo seja liderado pela empresa LUZ. Portanto, a operação das usinas solares que estão sendo construídas será feita por nossa fornecedora digital de energia”, destaca o diretor da Delta Solar.

Abertura do mercado

O Grupo Delta Energia tem se preparado para a abertura de mercado do setor elétrico há tempos, com investimentos em várias frentes. A companhia adquiriu uma empresa tecnologia, cujo lançamento da nova marca, a Wisebyte, ocorreu em julho deste ano e que oferece serviços agregados em software e hardware em grande escala para os segmentos de energia e telecomunicações.

Em outubro de 2022, a LUZ iniciou suas operações em geração distribuída compartilhada e, em 2023, ampliou as atividades sendo a representante da companhia na comercialização de energia elétrica no varejo. Somam-se a essas ações, investimentos em medidores de energia inteligente, aplicativos, sistema de gestão e automatização, com foco em digitalização e segurança de dados.

“Estamos em um importante e inédito processo de evolução de abertura do setor elétrico brasileiro. Queremos que os novos clientes recebam todo suporte no processo de migração e na escolha de seu fornecedor de energia. Por isso, nosso investimento tem sido intenso para atender a essa demanda de mercado”, conclui Mota.

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas